terça-feira, 7 de junho de 2011

Aula-Passeio: Visita ao Sítio Histórico de Olinda, pequena aula de História da Arte

Vista do Sítio Histórico de Olinda.Olinda-PE
Quando Tatiana Ferraz, Professora da Disciplina de História da Arte do 3º Período do curso de Comunicação Social da Faculdade Maurício de Nassau, decidiu fazer uma pequena visita pelo sítio histórico da Cidade de Olinda, logo fiquei empolgado, pois gosto muito de história, e unir história, Olinda e a aula engraçada e dinâmica da professora, era a mistura perfeita para um dia de aprendizado, o que na verdade realmente ocorreu, pois foi um dos melhores dias que já tive.
Participaram desse passeio duas turmas da professora, uma de Caruaru e outra de Recife, turma legal, entrosada, e com humor compatível ao da professora que gosta sempre de arrancar bons risos de sua turma, fazendo da aula algo realmente agradável.
Chego ao sítio histórico um pouco atrasado e acompanhado de meus amigos, Maryna Lira e Lincoln Adler, subimos as ladeiras de Olinda e vamos até o Alto da Sé, encontramos nossa amiga Ísis Lima na igraja da sé, Tatiana já havia começado a aula a partir da Igreja da Sé (Catedral de São Salvador do Mundo), igreja que já passou por diversas reformas desde sua construção, passando por diversos estilos como o Neo-Barroco, Neo-Gótico.

Igreja da Sé de Olinda.Olinda-PE
No miradouro da Sé de Olinda, Tatiana, já havia começado a aula, e claro levo uma boa bronca pela demora para chegar ao local, e assim começa o passeio e estudos dos conceitos visados em sala de aula sobre o modo de ocupação da cidade, que se protegia dos invasores e crescia a partir do alto das colinas, fazendo das igrejas pontos estratégicos de observação e defesa.
Depois de analisarmos a Igreja e sair dela depois de várias fotos, a professora tenta explicar sobre o calçamento da cidade, quando uma ambulante começa a vender raspa-raspa e atrapalha a explicação. Descendo o Alto da Sé em direção aos Quatro Cantos de Olinda, começamos a observar e discutir sobre as construções coloniais e sua importância para o desenvolvimento social da Cidade Alta de Olinda, como por exemplo os brasões de famílias nas fachadas, assim como também os santos na entrada da casa, usado como identificador de moradores católicos, e as telhas que quanto mais camadas tivesse, mais nobre era a residência, desde grandes senhores à igreja.
Descendo a Ladeira da Misericórdia, Tatiana nos faz uma proposta tentadora(ou não), descer a ladeira dando pequenos pulos agachado, quem o fizesse estaria passado nela, ninguém aceitou, mas que houve pausa para pensar sobre a proposta, não há como negar.

Ladeira da Misericórdia, Olinda-PE.
Durante o caminho passamos pelos Quarto Cantos de Olinda, analisando os Azulejos Portugueses do sítio histórico, que não chega a ter um número tão grande como São Luís do Maranhão (que contém o maior acervo de Azulejos Portugueses no Brasil), passamos pelo Mercado da Ribeira, e começamos a falar sobre o período da escravidão e o Pelourinho de Olinda que ali ficava, discutimos também sobre a estrutura do mercado e sua importância para a defesa da cidade, já que tem uma vista interna e externa da cidade, quando estávamos chegando à Prefeitura de Olinda paramos e nos deparamos com belos casarios, mais uma boa oportunidade para fotos.
Chegando ao Mosteiro de São Bento, Tatiana nos passa um pouco da história do mosteiro, sobre sua Faculdade de Direito que foi a primeira no Brasil, criada por D. Pedro I junto com a Faculdade de Direito de São Paulo, hoje a Faculdade de Direito criada em Olinda está na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), também contou sobre a história do imponente altar em ouro do Mosteiro, que já viajou para os Estados Unidos para ficar em exposição, como peça principal de uma exposição em Nova Iorque.

Fachada Principal do Mosteiro de São Bento, Olinda-PE
Detalhe do Altar do Mosteiro de São Bento, Olinda-PE
O Local estava repleto de turistas Brasileiros e estrangeiros de diversas partes do mundo, com diversos idiomas sendo executados para a explicação da história do lugar que os guias estavam fazendo e os turistas contemplando a maior obra do estilo barroco em Olinda.
Encerrando o pequeno passeio pelas ladeiras da Cidade Alta no Sítio Histórico de Olinda, fomos convidados pela professora a dar um passeio pelos bares da área histórica encerrando o passeio, de lá seguimos (já sem Tatiana) para um passeio pessoal pela praça de São Pedro, Praça do Carmo para apreciar a paisagem e desfrutar uma boa tapioca em frente a igreja do Carmo (infelizmente degradada), porta de entrada para o sítio histórico de Olinda.

Assim foi resumidamente a tarde maravilhosa e cultural pelo sítio Histórico de Olinda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário